O dia em que a máquina derrotou o homem foi há 15 anos

O xadrez é uma tortura mental

Garry Kasparov

kasparov_deep_blue

Foi há 15 anos, feitos hoje, mas parece que foi ontem. O mundo assistia a um embate inédito. Um computador produzido pela IBM, a quem foi atribuído o nome de Deep Blue, ganhou um jogo de xadrez ao campeão Garry Kasparov, por muitos apontado como o melhor jogador de sempre.

Com 256 co-processadores e capacidade para analisar cerca de 200 milhões de posições por segundo, o supercomputador venceu o cérebro nascido e desenvolvido em Baku, no Azerbeijão. Kasparov reagiu e terminou o ciclo de jogo com o ‘azul profundo’ com três vitórias e dois empates.

Pouco mais de um ano depois, em Maio de 1997, uma versão actualizada de Deep Blue derrotou Kasparov. Com cinco jogos, os opositores estavam empatados mas a máquina da IBM venceu o mais jovem campeão mundial de sempre (22 anos) no sexto encontro.

Kasparov acusou a IBM de batota, garantindo que percebeu profunda inteligência e criatividade nos movimentos do computador, exigiu acesso aos registos da máquina mas a IBM negou, embora, mais tarde, os tenha publicado na internet. Na base de dados do computador havia mais de 700 mil partidas de Mestres e Grandes Mestres de xadrez.

Anúncios
O dia em que a máquina derrotou o homem foi há 15 anos