Dave Hill, um artista que não enganar ninguém

Dave Hill diz-se fotógrafo. Não é que não o seja, porque é, mas prefiro chama-lo de artista. Na realidade é esta a designação que mais se adequa ao trabalho que faz. É arte, pura arte.

Nascido em São Diego, há pouco mais de 30 anos, é um reputado fotógrafo comercial, embora também produza belos trabalhos pessoais. Em rigor, não cria fotografias, elabora aventuras. Cada uma das suas imagens é uma aventura, seja apenas uma fotografia ou uma sequência delas. Há ali uma ou mais histórias, basta observa-las com atenção.

Num parágrafo acabei de admitir dois ‘pecados’, a inveja e o egoísmo. Seja, não há mal nenhum. Já aqui o disse: Para mim, um blogue é, acima de tudo, um espaço de partilha. (…) Hoje partilho Dave Hill. Já não sou egoísta. Mas continuo invejoso.

dave-hill-1401

Sim, são fotografias que nos surgem pouco reais, tal é a manipulação que lhe é aplicada. Tem os seus óbvios críticos e detractores que o acusam de enganar e utilizar equipamento ultra sofisticado que não está ao alcance do comum dos mortais.

Acontece que Dave Hill não engana ninguém. É totalmente honesto em relação ao trabalho que produz. No seu site pessoal disponibiliza uma área com inúmeros filmes “behind the scenes” que são, em concreto, os “making off” do seu processo criativo. Está lá tudo, da maquilhagem dos modelos, da preparação dos cenários, os elementos da equipa, a forma como prepara os ‘disparos’, os momentos antes de carregar no obturador, a hora h e o processo final de produção.

Claro que não faz as imagens com uma pequena câmara descartável. Utiliza bom equipamento. Mas quantos de nós podemos, muitas vezes, utilizar material do melhor e não vamos além da banalidade?

Dave Hill foi para além dessa banalidade. Podemos ou não gostar, podemos invejar. É o meu caso. Invejo Hill por não saber fazer o que ele faz. Confesso ainda que descobri o site de Hill há já umas largas semanas. Guardei-o para mim. Não disse a ninguém o que tinha encontrado, não o partilhei. Foi um refúgio pessoal, só meu, durante este tempo. Um cantinho na rede onde vinha pousar os olhos e a mente.

Num parágrafo acabei de admitir dois ‘pecados’, a inveja e o egoísmo. Seja, não há mal nenhum. Para mim, um blogue é, acima de tudo, um espaço de partilha. De ideias, opiniões, sentimentos, daquilo que pode ter importância e, às vezes, daquilo que pensamos não ter importância nenhuma. Mas sempre um espaço de partilha. Hoje partilho Dave Hill.

Já não sou egoísta. Mas continuo invejoso.

Anúncios
Dave Hill, um artista que não enganar ninguém