Sporting não quer confusões

O Sporting colocou no mercado uma promoção, a "Gamebox Duo", que só pode ser comprada por casais heterossexuais. É interdito a essas modernices de casais homossexuais. Esses, em primeiro lugar, não devem gostar de futebol e, mesmo que gostem, que comprem os bilhetes comuns.

As normas de acesso à promoção contemplam apenas "dois sócios do sexo oposto" e a "obrigatoriedade de serem Homem e Mulher". Não devem valer travestis, embora o normativo não seja esclarecedor.

Ao jornal i o presidente da Opus Gay, António Serzedelo, referiu não perceber como é que em pleno século XXI, “um grande clube como o Sporting, que terá seguramente sócios homossexuais, pode fazer uma discriminação insultuosa como esta".

Um dirigente do Sporting esclareceu, para que não haja confusões, que esta é “uma campanha para mulheres e não para casais". Esclarecidos, pois.

Daqui se assume que um casal de lésbicas, homossexuais, portanto, pode comprar a Gamebox Duo. Já um casal masculino não, porque não tem mulheres. Ah, perdão, afinal o gajedo que se arma em macho não pode comprar, também. As normas indicam “dois sócios do sexo oposto”. Um Maria e um Manel. Dois Maneis nem pensar, duas Marias também não. Não vá essa malta desatar aos beijos e outras porcarias na bancada e distrair os restantes espectadores do belo jogo praticado pelos 22 machos que andam atrás da bola, no relvado.

O Sporting, clube de elite, de famílias bem, não brinca com as coisas das famílias tradicionais e não vai à bola com paneleirices como os casais do mesmo sexo. É de leão. Alfa, claro.

Anúncios
Sporting não quer confusões