A promiscuidade entre empresas e política

O governo de José Sócrates prepara-se para cessar funções sem conseguir melhorar o desempenho em relação aos anteriores Executivos, de acordo com a avaliação que será hoje divulgada pelo "Compromisso Portugal" (CP), que culpabiliza a maior intervenção do Governo pelo agravamento da promiscuidade entre a política e o mundo empresarial.

O Compromisso Portugal, vá lá saber-se porquê, assinala a existência de um “agravamento da promiscuidade entre a política e o mundo empresarial”. O que o movimento nos diz é que essa promiscuidade já existia, existiu sempre, mas nos últimos anos foi crescendo.

Eles devem saber do que falam. O Compromisso Portugal, que costuma aparecer em alturas estratégicas, como eleições, é constituído por uma enormidade de gente ligada, muito ligada, às empresas. As empresas do tal mundo empresarial. Daquele que estará em acentuada e crescente promiscuidade com a política e o Governo.

Há qualquer coisa de estranho nisto, não há?

Anúncios
A promiscuidade entre empresas e política