O realismo está de regresso à televisão

O Diário de Notícias informava, há alguns dias, que os responsáveis da TV Globo estavam a chamar diversos especialistas, como jornalistas, publicitários, professores e psicólogos, para fazer parte das comissões de telespectadores que, “com regularidade dão opiniões sobre os programas daquele canal brasileiro”. O objectivo é descobrir porque é que as suas ficções em registo de novela estão a desinteressar o público.

As novelas do canal que é um dos principais do mundo a produzir este género de produto têm descido a olhos vistos. Diz a notícia do DN que “duas das três telenovelas em exibição no principal canal brasileiro estão com audiências bem abaixo do que era normal”. Uma delas é “Negócio da China”, de Miguel Falabella e na qual participam diversos portugueses, Ricardo Pereira, Joaquim Monchique, Maria Vieira e Carla Andrino. Esta “novela das seis”, porque no Brasil as novelas são mais conhecidas pelo horário que pelo nome, tem registado uma média de 17 pontos percentuais, o que é “o resultado mais baixo da história da TV Globo”. Por isso, a história será ‘cortada’ e deve terminar este mês, dois meses antes do previsto.

Já a recém lançada “Caminho das Índias”, transmitida em horário nobre da TV Globo, e também na SIC, em Portugal, regista uma média de 36 pontos. Pode parecer bom para Portugal mas no Brasil não é considerado um bom resultado. Sobretudo se tivermos em conta o investimento realizado e o elenco que integra o programa. Já a anterior ‘novela das oito’, “A Favorita” tinha registado resultados fracos.

Há quem aponte o irrealismo das histórias, personagens pouco fiáveis e interessantes como a origem do problema da TV Globo. Esta pode ser uma explicação. Até porque a TV Record está a registar uma subida tranquila mas constante nas audiências. Pode ser por causa dos programa religiosos que este canal transmite, pode. Mas deve ser mais porque as novelas da Record aposta de forma clara no realismo. Das histórias e das personagens.

Em Portugal, as televisões nacionais, que têm dado relevante atenção à produção nacional, e dentro desta a muitas novelas, com destaque para a TVI, já perceberam que o caminho das audiência é esse. Enredos com base na realidade do dia-a-dia e bons actores têm contribuído para o sucesso do canal de José Eduardo Moniz. Exceptuando os valores e a escala de produção, que no Brasil é superior e deverá continuar a ser, as novelas nacionais têm mostrado que em nada devem às brasileiras. Que o diga a SIC, que continuam bem atrás da TVI nas audiências diárias.

O realismo, além do cinema, está de regresso à ficção televisiva por episódios.

Anúncios
O realismo está de regresso à televisão