O estranho caso do avião de ‘desaparecido’ em Angola filmado em “Senhor da guerra”

O caso foi relatado há pouco mais de uma semana na revista russa “Ekho”. Alguns dos aviões russos Antonov que desapareceram em Angola durante a guerra entre o MPLA e a UNITA foram utilizados na rodagem de um filme, “O Senhor da Guerra”.

Apesar de caricato, a história ganha sentido se tivermos em conta todas as circunstâncias.

lord_of_wr_2002

Vejamos: O ‘herói’ desse filme de Holywood é um traficante de armas soviético, de nome Iúri Orlov, que é interpretado pelo actor Nicolas Cage e que teve como modelo de vida real Victor Bout, um russo que foi detido em 2008, na Tailândia, a pedido das autoridades norte-americanas. Apesar da produção ter indicado que a personagem teve influência de cinco vendedores de armas, Bout  foi a maior de todas as inspirações. E por fundadas razões.

Bout, antigo militar russo, que domina o português e trabalhou em Angola e Moçambique, foi acusado de traficar armas. E de ser um bom traficante. Era conhecido como “mercador da morte”.

À Ekho, o piloto de testes russo, Serguei Kudrichov, que dirige uma organização social que tenta descobrir o paradeiro de tripulações russas desaparecidas em Angola, confessa que quando estavam a ver o filme, “os nossos especialistas em aviação ficaram atónitos com uma descoberta inesperada. Segundo alguns sinais externos, um dos aviões que participou nas filmagens é um dos aparelhos Antonov 12 que desapareceram em Angola e são procurados internacionalmente”.

Kudrichov disse à agência Lusa que não existem dois aviões iguais. “São como as impressões digitais. Cada um tem as suas particularidades: cabinas, asas, fuselagem, aparelhos externos”. Apenas há a salientar que se trata de um reconhecimento visual, que “não dispensa uma análise directa do aparelho”, referiu o piloto russo. Algo que será pedido aos produtores de “O Senhor da Guerra”.

Entre 1997 e 1998, nos céus de Angola desapareceram cinco aviões com 23 tripulantes, cidadãos da Bielorrússia, Rússia, Moldova e Ucrânia.

Em Janeiro de 1998, um Antonov 12 desapareceu depois de ter descolado do aeroporto angolano de N’zaje.

A organização russa, de que Serguei Kudrichov faz parte, além de familiares dos pilotos russos desaparecidos, acredita que os aviões não se despenharam, mas são utilizados em negócios pouco ou nada transparentes em África.

O responsável pela entidade contou à Lusa que foram encontrados recentemente dois aviões semelhantes aos que procuram há já dez anos. “O nosso perito, que se arriscou a aproximar-se deles, reconheceu-os como ‘nossos’ por uma série de sinais”, acrescentou.

O piloto russo não adianta o nome do aeródromo em que foram vistos os aparelhos russos por razões de segurança das tripulações, mas a Lusa disse que se trata de um país vizinho de Angola.

O caso pode parecer estranho. Parecer? Bom, o caso é estranho mas não tão estranhos assim, se tivermos em conta os muitos aspectos estranhos que rodearam o fim da guerra civil em Angola, um dos mais ricos países do mundo em recursos naturais.

Nada de estranho no que ao filme se resume. Os produtores trabalharam com outros equipamentos reais. Os tanques alinhados numa cena de venda de armas eram verdadeiros e pertenciam a um vendedor de armas checo, que depois os recolheu para vender a um país. Fazer esta cena implicou um aviso à OTAN, para que, ao observarem as imagens de satélite, não pensassem que se estava a preparar uma guerra.

No filme surge um avião Antonov An-12, que era propriedade do russo Evgeny Zakharov. Em 8 de Janeiro de 2005 o avião caiu em Bukalaza, Uganda. Os seis elementos da tripulação morreram. O avião tinha partido da localidade de Entebbe, no Uganda, com destino a Kinshasa, capital da República Democrática do Congo.

Um lote de três mil metralhadoras AK47 também foi utilizado na filmagem. Porquê? Era mais baratas que comprar armas de simulação.

Anúncios
O estranho caso do avião de ‘desaparecido’ em Angola filmado em “Senhor da guerra”