Os problemas de Babel

O português, já o sabemos, é uma língua traiçoeira. Mas não é a única. O chinês também não é nada simples. Muitas palavras têm significados diferentes e só a entoação faz o receptor da nossa mensagem perceber o que queremos dizer. Não há-de ser nada simples para os iniciados.

anderson 0702

Acontece o mesmo noutras línguas, latinas, eslavas… Deve ser um problema geral. O inglês, a língua mais universal existente no mundo, não escapa aos quid pro quos. Que o diga Penélope Cruz. Com um inglês demasiado verde pediu, num salão de beleza, um ‘blow job’ (sexo oral) em vez de um ‘dry job’ (secagem de cabelo). Que o digam muitas outras pessoas, que fizeram e fazem confusão com o inglês. E que o diga Anderson. O talentoso jogador brasileiro, ex-FC Porto, está há ano e meio no Manchester United mas continua com dificuldades na língua do país onde reside.

Apesar destas limitações, ou por causa delas, o canal de televisão do MU decidiu entrevistar, em Dezembro, o jovem médio / avançado. A entrevista foi genial. Não pelas perguntas, banais, nem pelo conteúdo das respostas, ainda mais banais. Mas pelas expressões e frases ditas por Anderson, que é muito melhor com a bola que com as palavras. Teria sido muito mais fácil que não tivesse havido aquela confusão, na altura da construção da Torre de Babel.

Vídeo da entrevista AQUI.

Anúncios
Os problemas de Babel